Padilha diz que Geddel é um homem correto: ‘Conheço desde 1995’


O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, negou ter qualquer conhecimento a respeito de uma possível pressão de Geddel Vieira Lima sobre o doleiro Lúcio Funaro. Em depoimento na Justiça Federal em Brasília, nesta terça-feira (06), Padilha afirmou que Geddel é um homem “correto”, o defendendo das acusações de que teria pressionado Funaro a não delatar.

“Conheço Geddel desde quando cheguei, em 1995, em Brasília. Fomos deputados até 2010. Sempre tive nele uma pessoa correta, alguém que cumpria com suas obrigações”, disse Padilha durante o depoimento. O ministro é testemunha de defesa de Geddel no processo em que o pemedebista baiano é acusado do crime de obstrução de Justiça.

De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), Geddel ligava para a esposa de Funaro, Raquel Pitta, para evitar a delação do doleiro e “embaraçar as investigações contra a organização criminosa alvo da Sépsis e Cui Bono?”.

Em depoimento dado também nesta terça em Brasília, Geddel negou qualquer pressão sobre Lúcio Funaro e se disse abandonado pelos amigos.

“Esses telefonemas amigáveis devem ter feito bem à senhora Raquel Pita. Digo isso porque vejo hoje que amigos, pessoas, de longa data me lançaram em um vale dos leprosos”, afirmou.

A respeito de Funaro, o ex-ministro falou que “possivelmente os dois foram apresentados pelo ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha”, mas destacou que não se lembra dos detalhes, pois “essa memória fantástica só em elefante e delator”. Segundo Geddel, Funaro era uma pessoa “agradável”. Bahia.ba.


Expectativa é de 1,2 mi de novos casos de câncer entre 2018 e 2019, diz Inca


 

Uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca) mostrou que 1,2 milhão de novos casos da doença devem surgir no país entre 2018 e 2019. A estimativa para apenas este ano é de 582 mil novos registros – 300 mil em homens e 282 mil em mulheres.

O estudo aponta que, em cada 10 casos, três estão relacionados ao estilo de vida que as pessoas levam. Hábitos como tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo, obesidade e exposição excessiva ao sol aumentam as chances de incidência da doença.

“O tipo de câncer mais comum no nosso país continua sendo, claro que esperado em um país tropical, o câncer de pele, do tipo não melanoma. Dos demais cânceres, mama na mulher e próstata no homem vêm se destacando bastante”, disse a diretora-geral do Inca, Ana Cristina Pinho.

“Além disso, outros tipos de câncer com alta incidência, como o câncer de pulmão e o câncer de intestino, também estão muito ligados a hábitos alimentares, ao tabagismo, uso abusivo de álcool”, acrescentou.


INSS passa a liberar salário-maternidade automaticamente após registro de bebê em cartório


Brasília – O governo vai apresentar proposta para os peritos médicos do INSS, em greve há um mês meio Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr 16/08/2010 19:19

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) implementa, a partir de hoje, a concessão do auxílio-maternidade automático. A iniciativa, que faz parte de um pacote de modernização na liberação de benefícios da Previdência Social, funcionará de forma integrada com os cartórios de registro civil. De acordo com o presidente do instituto, Francisco Paulo Soares Lopes, a medida chega para modernizar os processos e visa também a desafogar as agências do órgão, que sofrem com excesso de requerimentos e poucos servidores.

Quando o pai ou a mãe for ao cartório registrar o recém-nascido, as informações serão repassadas ao INSS e, automaticamente, o benefício será liberado. Isso evitará a demora na concessão desse auxílio tão importante — explicou Lopes.

De acordo com Lopes, os cartórios serão um braço do INSS na concessão do benefício previdenciário. Conforme destacou o presidente, os cartórios também poderão fazer atualizações cadastrais junto ao INSS. Por exemplo, se a pessoa vai registrar a criança, e o cartório detecta algum erro cadastral, será possível fazer a correção dos dados no local para a liberação do benefício.


Fachin autoriza novo inquérito contra Lúcio; deputado é acusado de ameaçar Marcelo Calero


 

Relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), o ministro Edson Fachin autorizou na quinta-feira (1º) a abertura de um novo inquérito para investigar o deputado federal Lúcio Vieira Lima.

 

O ministro atendeu a um pedido feito pela Procuradoria-Geral da República (PGR), que quer apurar se o parlamentar ameaçou e pressionou o ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero. De acordo com o Estadão, o deputado responde agora a quatro inquéritos no STF.

O novo apura suposto crime de ameaça. Calero deixou o cargo em novembro de 2016, após denunciar que sofreu pressão do ex-ministro e irmão de Lúcio, Geddel Vieira Lima (MDB-BA), para que obrigasse o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico (Iphan) a liberar o licenciamento da obra do edifício La Vue, em Salvador, no qual a família do deputado tinha participação.

 

Na decisão, Fachin menciona que Lúcio teria supostamente ameaçado Calero por tornar públicas as relatadas pressões feitas por Geddel no caso. Bahia Notícias.


Lula recorre ao STF para evitar prisão após condenação


 

defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva entrou com pedido de liminar de habeas corpus no STF (Supremo Tribunal Federal) para evitar uma eventual prisão por causa da condenação em segunda instância.

Na semana passada, Lula foi condenado por lavagem de dinheiro e corrupção passiva em segunda instância, pelo TRF-4 (Tribunal Regional Federal da 4ª Região).

Nesta terça-feira (30), a defesa recorreu ao STJ com um pedido de habeas corpus preventivo para afastar a possibilidade de antecipação de cumprimento da pena de 12 anos e 1 mês de prisão em regime fechado.

No entanto, o pedido foi negado pelo vice-presidente do STJ, ministro Humberto Martins. Agora, a defesa recorreu contra essa decisão.

Folhapress.